18.4.09

ABSÍDIO
Ilustração: Sidney Ramos

VERTIGEM
Sidney Ramos
Rafael Fittipaldi

Lembranças
Torrentes
De alegrias.
Redemoinhos
De sentimentos,
Afluentes correndo
À minha alma:
(Onde está o mar?)
Onde está ela
Que se despe
Na despedida.
Ainda opina...
Despida, pede
O pedágio em peso
- O preço - e eu preso,
Amarrado, peço seu amor.
Voraz lançávamo-nos
Na relva afáveis.
Aqueles braços,
Não sabia, eram voláteis,
Solúveis, evaporaram.
Hoje àquelas águas atiro
Com saudade os resíduos
Da sublimação.
Anuncio as lavas
Desgastadas no correr
Da minha respiração.
Evoco a vertigem
- Desejo de queda -
Recaio em lembranças,
Torrentes venosas
No envenenado coração meu.
Agora sou só
Uma pedra de gente.
Assisto o mar
Comer meu continente.
Do alto de um promontório
Rochoso, marrom e cinza...
Adeus as cinzas!
Minhas, dela,
De nossas glórias
Que quero esquecer.

4 comentários:

Sonia Schmorantz disse...

Obrigado por sua visita, tens aqui um belo espaço de poesia, está me parecendo que estás começando agora, e para início está no mesmo nível de todos que conheço, muito bom.
Um abraço

Mahmoodsyed Faheem disse...

Hi Sidney Ramos! Thanks for visiting my blog.
http://health-care-you.blogspot.com

ana_lucia_cavalcanti disse...

Adorei sua poesia!

ana_lucia_cavalcanti disse...
Este comentário foi removido pelo autor.